Disciplina - Educação Física

Busca Educação

Dança Flamenca

A dança folclórica existe sem a influência de nenhum coreógrafo, é apenas para o próprio prazer dos seus executantes. Ela mostra certas características do meio-ambiente e peculiaridades do temperamento de um povo.

Os povos da bacia do Mediterrâneo, que compreende Argélia, Marrocos, Egito, Grécia, Turquia, Síria Líbano, Israel e Armênia, usam muito os quadris e ombros em suas danças, que desenvolveu um controle dos músculos abdominais, costas e coluna vertebral.

A Dança Flamenca é a que mais revela essa influência, deixada pelos árabes (Mouros em sua dominação espanhola) e ciganos. Uma união da dança oriental com o folclore ocidental, resultou na dança Espanhola. Nela, a concentração dos movimentos dos quadris das costas e dos braços criam uma atmosfera de mistério e sensualidade tipicamente oriental, enquanto os sapatos, a rapidez as batidas dos pés e as palmas são expressões típicas da dança ocidental. A cultura do flamenco é originária da Andaluzia em Espanha, mas tornou-se um dos ícones da música espanhola e até mesmo da cultura espanhola em geral. Muitos dos detalhes do desenvolvimento do flamenco foram perdidos na história do flamenco e existem várias razões para essa falta de evidências históricas:

  • Os tempos turbulentos dos povos envolvidos na cultura do flamenco. Os mouros, os ciganos e os judeos foram todos perseguidos e expulsos pela inquisição espanhola em diversos tempos durante a “Reconquista”.

  • Os ciganos possuíam principalmente uma cultura oral. As suas músicas eram passadas às novas gerações através de atuações em comunidade.

  • O flamenco não foi considerado uma forma arte sobre a qual valesse a pena escrever durante muito tempo. Durante a sua existência, o flamenco esteve dentro e fora de moda por diversas vezes.

Originalmente, o flamenco consistia apenas de canto (cante) sem acompanhamento. Depois começou a ser acompanhado por guitarra (toque), palmas, sapateado e dança (baile). O “toque” e o “baile” podem também ser utilizados sem o “cante”, embora o canto permaneça no coração da tradição do flamenco, outros instrumentos como o “cájon” (uma caixa de madeira usada como percussão) e as castanholas foram também introduzidos. O Taconeio (sapateado espanhol), é uma invenção própria dos espanhóis, tudo começado como simples batida dos pés, evoluiu para uma técnica em que o calcanhar e a sola dos pés batem separadamente ou conjuntamente abrilhantando a dança.

O “Novo flamenco” é uma variação recente do flamenco que sofreu influências da música moderna, como a rumba, salsa, pop, rock, jazz e grande influência do estilo contemporâneo.

Fonte: pulsarte.com.br
O Flamenco nasceu da mistura de povos nômades e está arraigado nas manifestações folclóricas de vários povos que ao passar pelo crivo de gargantas pontuais se transformou em uma arte indiscutível e forte. Uma arte que comunica através das mãos que deslizam pela guitarra espanhola construindo melodias fortes, alegres, tristes, revoltas e proporciona aos ouvidos uma viagem aos primórdios de nosso interior.

Flamenco é arte que comunica através do corpo empregando mãos, expressões faciais marcantes e os pés acompanhados por passos de um marcante sapateado. É o corpo reagir ao som da guitarra ou à letra do cante que personifica a dor, o abandono, solidão, desprezo, as alegrias, o amor, o desejo. A força dessa arte também está na forma com que sintetiza música, cante e dança em um mesmo momento com relevante carga emocional e excelência.

Segundo a espanhola e andaluza Cristina Hoyos, uma das principais bailaoras, coreógrafas e atrizes que teve atuação em quase todo o mundo, Flamenco é “ uma mescla maravilhosa de todas as culturas que passaram pela Andaluzia que nos deixou suas marcas e que aqui se hão dado forma. A mistura é sempre boa e tudo o que há passado por esta terra se há criado algo maravilhoso chamado Flamenco.”

O flamencólogo Manuel Ríos Ruiz publicou em 1988 o Dicionário Ilustrado do Flamenco e tem a seguinte definição de “Arte Flamenco”:

"Considera-se que o cante, baile e toque da guitarra flamenca constituem em seu conjunto, uma arte. Seus estilos, criados sobre bases folclóricas, canções e romances andaluzes hão ultrapassado valores populares, alcançando uma dimensão musical superior, cuja interpretação requer faculdades artísticas de todas as ordens. Ainda que o flamenco, cante, baile e toque, mantenha um sentido estético sumariamente popular e próprio do povo andaluz.

Suas manifestações se tornaram autênticas expressões artísticas, totalmente diferenciadas das originárias de um histórico folclórico, através das composições anônimas e pessoais que fizeram do flamenco algo estruturado e evoluído estilisticamente. Sem deixar de ser música e poesia de raiz popular, pode-se dizer, segunda a opinião da maioria dos estudiosos, que o flamenco é um folclore elevado à arte, tanto por suas dificuldades interpretativas como por sua concepção e formas musicais."


Fonte: flamenconewsbrasil.com

Todas as modificações posteriores são de responsabilidade do autor original da matéria.

Recomendar esta página via e-mail: