Disciplina - Educação Física

Busca Educação

Ginástica Aeróbica

Origens Situação Atual Exercícios Arbitragem Equipamento


A Ginástica Aeróbica Esportiva (GAE) é uma modalidade onde se executam padrões de movimentos aeróbicos complexos, de forma continuada e com alta intensidade, originários da dança aeróbica tradicional, utilizando a estrutura e o estilo da música, e interpretando-a.

Padrões de Movimentos Aeróbicos são a combinação simultânea de passos básicos e movimentos de braços executados de forma consecutiva, respeitando a característica da música para assim criar sequências dinâmicas, rítmicas e contínuas, de movimentos de alto e baixo impacto.

A rotina (coreografia) deve demonstrar movimentos contínuos, flexibilidade, força, agilidade e equilíbrio, além de utilizar os sete passos básicos e elementos de dificuldade com alto nível de perfeição.

O ginasta deve apresentar-se de forma cativante e alegre, porém com naturalidade, sem expressões faciais exageradas.

Origens


Os exercícios aeróbicos foram estudados nas décadas de 60 e 70 pelo Dr. Keneth Cooper que comprovou sua eficiência para o emagrecimento e a melhoria das condições cardiovasculares dos indivíduos. Baseados nestes conhecimentos se desenvolveram nos EUA alguns métodos de treinamento que utilizavam música, passos de dança e exercícios de calistenia, dentre eles o Aerobic Dance.

Trazida para o Brasil no início da década de 80 com o nome de Ginástica Aeróbica, esta motivante atividade foi rapidamente difundida pelas academias de todo o país. Nesta mesma época já se criavam as primeiras competições e organizações internacionais que as regulamentavam. Muitos atletas brasileiros de talento se destacaram com o início da “febre” das academias e o chamado boom da Aeróbica.

A Federação Internacional de Ginástica (FIG) incluiu a Ginástica Aeróbica em seu programa de modalidades esportivas em 1995, surgindo então a possibilidade de um futuro olímpico para a disciplina.

Situação Atual


Atualmente a GAE encontra-se plenamente estabelecida como modalidade esportiva da família da Ginástica, e está difundida a nível mundial, com cerca de 45 países competindo internacionalmente , após inúmeras transformações que resultaram em sua evolução.

No Brasil, continuamos encontrando talentos e formando destaques internacionais com vários ginastas conquistando títulos mundiais.

Os Estados que se destacam na modalidade e que estão competindo a nível nacional são: Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Sergipe e São Paulo.

Exercícios


A GAE é composta por 7 Passos Básicos e 4 Grupos de Elementos de Dificuldade, além de elevações, transições e ligações entre os movimentos. A duração total da coreografia é de 1 minuto e 45 segundos.

Os 7 Passos Básicos da GAE são:

Marcha
Jogging (Corrida)
Chutinho
Chute Alto
Polichinelo
Elevações de Joelho
Lunge (A Fundo)


Os 4 Grupos de Elementos de Dificuldade são:

Força Dinâmica: Ex. Flexões de Braços, Cortadas, Círculos de Pernas.
Força Estática: Ex. Esquadros, Pranchas.
Saltos: Ex. Grupado, Afastado, Carpado, Cortado, Tesoura.
Flexibilidade e Equilíbrio: Ex. Espacatos, Giros, Pegadas.

Arbitragem


Os critérios de Arbitragem da GAE são:

1- QUALIDADE ARTÍSTICA: avalia a composição da coreografia, o equilíbrio, a variedade, a colocação no espaço e a integração dos movimentos com a música, assim como a adequação da coreografia ao competidor, e sua capacidade de apresentá-la de forma original, cativante e com energia natural. A nota máxima para este critério é de 10,0 pontos.

2- EXECUÇÃO: avalia a perfeição de todos os movimentos da coreografia, havendo deduções quando desvios ou erros são cometidos. A nota máxima para este critério é de 10,0 pontos.

3- DIFICULDADE: avalia a validade dos elementos de Força Dinâmica, Força Estática, Saltos, Flexibilidade e Equilíbrios, apresentados pelo ginasta, conforme os valores e requerimentos mínimos citados no Código de Pontuação. A soma total dos valores dos elementos validados será dividida por 2 e assim se dará a pontuação de Dificuldade.

O Árbitro Chefe da competição controla o trabalho dos demais árbitros e dá deduções por vestuário incorreto do ginasta, movimentos proibidos, entre outros, além de dar Advertências e Desqualificações.

Os 2 Árbitros de Linha observam as faltas de Linha (quando o ginasta pisa fora da área de competição) e o Árbitro de Tempo controla a duração das músicas e dá dedução quando são muitos longas ou muito curtas.

A pontuação Final é a soma das notas de Qualidade Artística, Execução e Dificuldade menos as deduções eventualmente ocorridas.

Equipamento


A GAE utiliza uma área de competição de 7x7m para Individuais, Duplas e Trios, e 10x10m para Grupos.

Os equipamentos necessários para sua prática são: piso com amortecimento apropriado para absorver o impacto dos movimentos executados e CD Player.

O Piso oficial de GAE é revestido de madeira e fica num palco de 80cm a 1m40cm de altura.


Fonte: Confederação Brasileira de Ginástica. Fonte da Imagem: Wikipédia.Todas as modificações posteriores são de responsabilidade do autor original da matéria.
Recomendar esta página via e-mail: